Surf em Balneário Camboriú: melhores praias para pegar boas ondas

11 minutos para ler

Muitas pessoas podem não saber, mas a bela cidade de Balneário Camboriú é considerada celeiro de atletas de destaque em competições de surf profissional. 

Nomes conhecidos mundialmente no cenário do surf mundial, como os surfistas Teco e Neco Padaratz, foram responsáveis por levar o nome de Balneário Camboriú, cidade onde moraram, para longe. 

As belas praias de BC atraem os adeptos do surf, esporte radical de águas salgadas, e que estão sempre em busca das melhores ondas do litoral. E quando o assunto é pegar onda, Balneário Camboriú traz ótimas opções em suas praias, com belezas naturais únicas combinadas à ondas fortes

Das suas oito praias, BC tem pelo menos quatro delas que podem ser ótimos destinos para quem curte se aventurar pelas ondas. Essas, inclusive são destinos escolhidos de surfistas de todo o Brasil.

Se você é adepto deste esporte radical, o artigo de hoje é para você. Neste texto você vai conhecer as melhores praias de Balneário Camboriú para surfar. Prepare a parafina, pegue  a sua prancha e escolha o seu destino.

O surf no Brasil

Historicamente, o surf no Brasil surgiu na década de 1930, na cidade de Santos, em São Paulo. 

Documentos dão conta  de que era 1937 quando Thomas Rittscher Júnior, norte-americano radicado em Santos, recebeu do seu pai, um comerciante de café, um exemplar da revista norte-americana “Popular Mechanics”. Dentro desta revista uma reportagem trazia um artigo de Tom Blake, considerado até hoje uma grande lenda do surf mundial.

No artigo, Blake ensinava como fazer uma prancha que levava a sua marca pessoal, invenção que popularizou o esporte das ondas. 

O jovem Rittscher, que era nadador, remador, velejador e jogador de polo aquático, se interessou pela engenhoca e, inspirado no esquema mostrado na revista, montou a sua própria prancha. 

De posse da sua prancha construída em casa, foi até a Praia do Boqueirão, onde dropou ondas da Baía de Santos. E assim foi o pontapé que iniciou uma das modalidades esportivas mais buscadas por jovens do Brasil todo.

Já pelos idos dos anos 40, com a Segunda Guerra Mundial, o Rio de Janeiro serviu como base naval de aluados e recebeu a visita de americanos, que trouxeram as suas pranchas de surf, máscaras de mergulho e pés de pato para as praias cariocas.

Nos anos 1950, famílias ricas aderiram à prática no Rio de Janeiro. Logo, o surf se expandiu na carona do lifestyle carioca.

Mas as primeiras pranchas de fibra de vidro, que vieram importadas diretamente da Califórnia, só chegaram ao Brasil em 1964.

Já os anos 1970 e 1980 foram marcadas por grupos de amigos, que levantaram a bandeira de um surf que já começava a se profissionalizar. Além de opção de lazer, a prática também se transformava em uma opção de trabalho.

Brasil, o país do Surf

Ambientes litorâneos com incidência de boas ondas marítimas são o ambiente ideal para a prática de surf, que até pouco tempo atrás era massificada apenas em países de primeiro mundo.

Pela primeira vez, o surf ganha mainstream em um país de desenvolvimento. Nomes como Gabriel Medina – que fez o Brasil abrir os olhos para o surf -, Ítalo Ferreira e Adriano de Souza, o Mineirinho, levaram o país ao destaque mundial.

Além disso, o surf é o esporte que mais conecta os fãs na internet. O Brasil tem a maior audiência online entre as transmissões ao vivo de todos esportes. 

Um estudo inédito do Ibope Repucom e WSL, a Liga Mundial do Surfe  mostrou que etapa brasileira do circuito, a Oi Rio Pro, no Rio de Janeiro, em 2015, foi a mais vista em toda a história da liga. 

Já 2018 foi o ano em que o Brasil pode ter sido chamado de O País do Surf. Isso porque naquele ano, o país levou cinco vitórias em seis etapas do circuito mundial da Liga Mundial de Surf. 

Destaque nas premiações mundiais

As vitórias em série naquele ano tiveram a conquista da etapa de Bells Beach por Ítalo Ferreira, o primeiro título internacional do surfista em todas as categorias do circuito mundial. 

Depois disso, Filipe Toledo venceu a Oi Rio Pro. Já na passagem do circuito pela Indonésia, Ítalo Ferreira voltou a vencer, em Keramas. O catarinense Willian Cardoso também subiu ao pódio no campeonato de Margaret.

E na África do Sul, Filipe Toledo também fez história. Esta foi a primeira vez na história (desde a separação do circuito entre divisão de elite e divisão de acesso) em que cinco das seis primeiras etapas do campeonato mundial foram vencidas por surfistas do mesmo país. 

Além disso, naquele ano, a surfista Maya Gabeira pegou uma onda com tamanho estimado entre 70 e 80 pés, o que a colocou como a dona da maior onda já surfada na história por uma mulher.

Tudo isso reforça as potencialidades do Brasil quando o assunto é o surf, o que tem aumentado cada vez mais o interesse de toda a população pelo esporte.

O que precisa ser explorado no país é aliar o surf ao turismo nacional, já que boas praias para pegar ondas no Brasil e em Santa Catarina, não faltam.

As melhores praias para você praticar o surf em BC

Os lugares mais procurados por surfistas são aqueles de mar agitado e com ondas bem formadas. 

Abaixo, nós vamos mostrar para você quais são as melhores praias de Balneário Camboriú para a prática ideal do surf.

Praia central

A Praia Central de Balneário Camboriú está localizada ao longo da Avenida Atlântica, principal via do centro de BC. São cerca de sete quilômetros de extensão e a orla costuma ser sempre bastante agitada. É o local onde a maior parte dos banhistas costuma ficar 

As boas formações de ondas da praia central a transformam em um dos locais bastante procurados pelos praticantes de surf. Foi lá, inclusive, que os campeões mundiais Teco e Neco Padaratz pegaram suas primeiras ondas.

As condições ideais na Central são nos dias de swell de leste e sul/sudeste, quando o vento vem dos quadrantes Leste e Oeste (vento chamado terral).

Mas há alguns pontos ao longo da praia que são ainda mais disputados por quem curte pegar ondas. São eles:

Marambaia 

O canto da Marambaia (localizado na barra norte, canto esquerdo da orla) é um dos destaques principal da Praia Central. Esse canto se caracteriza por ondas longas e tubulares nos dias ideais para o surf.

Maxim 

Na área do Maxim, que fica localizado perto da Ilha das Cabras e no Centro, também é possível encontrar ótimas condições de surf, tanto para o lado esquerdo quanto para o direito.

O tamanho médio das ondas nesses locais varia entre 2 e 12 pés. O grau de dificuldade é médio e a melhor época do ano para pegar essas ondas é entre o outono e a primavera.

A sugestão, quando a escolha for surfar durante épocas de alta temporada – de novembro a março – é você escolher horários entre às 6h e 9h da manhã, quando a quantidade de banhistas no mar ainda é pequena.

Além de ser um local bom e disputado para práticas esportivas, a Praia Central também tem movimento artístico  cultural e muita agitação ao longo de sua orla.

Por estar na parte urbana de Balneário Camboriú, a praia oferece ótima estrutura para receber os turistas, com quiosques e uma variedade grande de restaurantes.

Praia dos Amores

A Praia dos Amores, que fica localizada bem na divisa entre Balneário Camboriú e Itajaí, a seis quilômetros da praia central, também é destino ideal para os amantes do surf. 

Isso porque a praia normalmente tem as características de ter ondas mais fortes, especialmente no fim da tarde, quando a maré está mais alta.

O interessante desta praia para os praticantes é que ela tem pouco movimento de banhistas, que ficam na área mais tranquila da praia, enquanto os esportistas se concentram na parte com ondas mais fortes. 

Quem pode fazer companhia aos surfistas são outros praticantes de esportes marítimos, como o windsurf. 

A beleza da paisagem da praia é marcada pela natureza ainda quase virgem e bem preservada da região. A Praia dos Amores ainda fica do ladinho do Morro do Careca,  um morro com mais de 100 metros de altura e que também atrai outros adeptos a esportes radicais, como o parapente e asa-delta. 

Praia Brava

surf em balneário camboriú

Também localizada no limite entre Balneário Camboriú e Itajaí, bem ao lado da Praia dos Amores, a Praia Brava é outro ponto de encontro – badaladíssimo – para os surfistas.

Seu nome, inclusive, vem inspirado pela força de suas ondas, que atraem os praticantes de surf de todo o Brasil. O local é frequentado inclusive por surfistas famosos, como Gabriel Medina, e também outros famosos como o jogador Neymar e o compositor Gabriel Pensador.

Outros esportes radicais marítimos, como o kitesurf, o windsurf e aos jet skis também são vistos com frequência no mar da Praia Brava, que é constantemente agitado.

São três quilômetros de ponta a ponta – da Brava Sul a Brava Norte – que constituem a Praia Brava e enchem de opções os praticantes do surf.

Segundo os surfistas, a ondulação ideal para a prática na Brava é com o vento sudeste e terral, que é capaz de proporcionar os melhores “tubos”. E um dos pontos mais procurados pelos praticantes é o extremo norte da Praia Brava, bem perto do conhecido Canto do Morcego.

Experimentando um boom de crescimento nos últimos anos, é comum encontrar o mar lotado de surfistas na cada vez mais badalada Praia Brava. 

Inclusive, é uma das praias que vive uma grande ascensão. Este material que preparamos no nosso site fala um pouco sobre as vantagens de se morar na Praia Brava.

A Praia da Atalaia, que fica em Itajaí, também é ponto de encontro dos surfistas. Nesta praia, as ondas são mais lentas, com vento característico norte ou terral, o que forma ótimas paredes para manobras. 

Praia do Estaleiro e Estaleirinho 

surf em balneário camboriú

A Praia do Estaleiro, que fica distante 17 quilômetros em direção Sul ao centro da cidade, é a praia mais afastada do centro de Balneário Camboriú para a prática do surf.

A praia comumente tem ondas fortes e mar bastante agitado. E é isso o que atrai os surfistas, que sabem que na Praia do Estaleiro irão encontrar ótimas ondas em todos os períodos do ano.

Diferente de outras praias, o Estaleiro geralmente é menos visitado e não oferece uma boa infraestrutura. Há poucos restaurantes perto da praia.

Porém, justamente por ser mais vazia, ela é ideal para a prática de surf. Suas águas são limpas e cristalinas, e o visual, composto por pedras e restingas, ainda é muito bem preservado.

A praia não é recomendada para banhistas e é também procurada por praticantes da pesca de arremesso.

Já a Praia do Estaleirinho, localizada a 11 quilômetros ao sul do centro de BC, é mais tranquila que o centro mas normalmente tem um pouco mais de movimento que o Estaleiro. No verão, costuma encher por causa dos beach clubs, que oferecem festas para quem procura agito – especialmente a partir do fim da tarde.

A Praia do Estaleirinho oferece restaurantes e quiosques com culinária de frutos do mar. Os surfistas também costumam frequentar bastante o Estaleirinho, que oferece boas ondas para a prática. 

Venha curtir e se apaixonar por Balneário Camboriú

Com o artigo de hoje você descobriu quais são as melhores praias para pegar onda em Balneário Camboriú. Se você curte também outros esportes radicais, nós preparamos este conteúdo com dicas de esportes radicais para praticar também em BC.

Balneário Camboriú também é conhecida pela qualidade de vida dos moradores e atrações, eventos e atividades culturais e esportivas para o ano inteiro. Se você ainda não conhece a cidade, venha conhecer nossas belezas e lindas praias.

A Salute Imóveis é uma imobiliária que está localizada em BC e está pronta para atender às suas necessidades. Se você está pensando em investir nessa que é uma das melhores cidades para se viver no Brasil, entre em contato conosco  e vamos conversar.

Posts relacionados

Deixe um comentário